Prefeitura lança plataforma de dados sobre acidentes de trânsito em São Paulo

A Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes (SMT) lançou na segunda-feira (17/09) uma plataforma para a visualização de dados relacionados a acidentes de trânsito na cidade de São Paulo.

Chamada de Vida Segura, a ferramenta criada pelo Banco Mundial foi adaptada para a SMT pela Iniciativa Bloomberg para a Segurança Global no Trânsito, com base nos dados consolidados de acidentes fatais e com vítimas da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Com o novo programa, qualquer pessoa terá acesso ao banco de acidentes de trânsito da cidade dos últimos três anos (2015, 2016 e 2017) de maneira interativa e de fácil pesquisa.

“Vamos fazer a divulgação para que a população possa participar, analisar e ajudar a Prefeitura de São Paulo a elaborar políticas para reduzir a quantidade de acidentes e melhorar o trânsito na cidade”, destaca o prefeito Bruno Covas.

O lançamento aconteceu durante o seminário o Futuro da Mobilidade Segura, na biblioteca Mário de Andrade, que abre a Semana da Mobilidade 2018 em São Paulo, movimento nacional que pretende conscientizar o cidadão sobre a responsabilidade no trânsito e acontece entre os dias 18 e 25 de setembro.

Este ano, o tema escolhido é “Todos Somos Pedestres”, alinhado com o 10° Prêmio CET de Educação no Trânsito. “Nós queremos convidar a sociedade civil a refletir sobre os deslocamentos do dia a dia, propondo formas de experimentar novas maneiras de se locomover, de compartilhar modos de transporte e de praticar a integração entre eles”, ressalta João Octaviano Machado Neto, secretário municipal de Mobilidade e Transportes.

A Prefeitura de São Paulo tem adotado nesta gestão medidas para a segurança viária, principalmente para os pedestres. Os dados de acidentes já são utilizados pela CET para análise de pontos críticos na cidade e norteiam o planejamento de ações para proteção à vida e redução de acidentes. Essa nova plataforma será uma importante ferramenta para tornar ainda mais dinâmica essa tomada de ações e o planejamento pontual em regiões que registram elevados índices de acidentes.

Produzido em código aberto, o Vida Segura é uma adaptação do DRIVER (Data for Road Incident Visualization, Evaluation, and Reporting), projeto conjunto entre o Banco Mundial – parceiro da Iniciativa Bloomberg – e a Azavea, uma empresa norte-americana de geoprocessamento e aplicações web.

A plataforma é mais uma medida que reforça a transparência ativa com relação aos dados coletados pela cidade. O usuário poderá analisar as informações de acidentes de trânsito na cidade, como gênero, idade, local e horário, além de identificar pontos críticos e fazer recortes geográficos a partir do histórico de ocorrências por Distritos Administrativos e Subprefeituras.

O Vida Segura aponta, por exemplo, que entre janeiro de 2017 e 1º de janeiro de 2018 a região da Subprefeitura Sé registrou 24 atropelamentos com vítimas fatais. No mesmo período, foram registrados 8 atropelamentos com vítimas fatais no perímetro da subprefeitura Santana/Tucuruvi. Na região da subprefeitura Mooca foram registrados 272 atropelamentos, sendo 13 com vítimas fatais e 259 com vitimas feridas.

Todas as informações ficarão disponíveis para download. O sistema utiliza os dados consolidados da CET sobre acidentes, usando a mesma metodologia desde 1979, que leva em conta os dados dos Boletins de Ocorrência, permitindo uma base sólida de pesquisa.

Segundo o secretário municipal de Mobilidade e Transportes, João Octaviano, a plataforma funcionará de forma diferente da utilizada pelo Infosiga, do Governo do Estado.

“Nossa dinâmica conta com a leitura de todos os boletins de ocorrência. Aqui na cidade nós vamos mergulhar um pouco mais afundo nos dados e entender não só a questão quantitativa dos acidentes, mas também a qualitativa. Essa plataforma permite a análise qualitativa e será dela que sairá políticas públicas especificas para atender demandas de determinadas regiões”, disse.

Para utilizar o Vida Segura basta acessar o endereço:
https://vidasegura.prefeitura.sp.gov.br/plataforma/

Vida Segura

Em maio de 2018, a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes anunciou o Programa Vida Segura, adotando o conceito de Visão Zero, que parte da premissa de que nenhuma morte é aceitável no trânsito.

Criado na Suécia em 1997, o Visão Zero já é usado como referência para a implementação de um plano de segurança viária de longo prazo em cidades como Nova York, Cidade do México, Bogotá e, mais recentemente, São Paulo. O Programa Vida Segura inclui ações já em desenvolvimento pela Secretaria como Pedestre Seguro, Marginal Segura, M’Boi Segura, Celso Garcia Segura, Ruas Completas, controle da velocidade dos ônibus em 50 km por hora, Sexta Sem Carro e Áreas Calmas.

A Semana da Mobilidade conta com uma programação com diversos eventos promovidos pelo poder público e pela iniciativa privada. A agenda completa pode ser acompanhada pelo http://semanadamobilidade.prefeitura.sp.gov.br

A ação é promovida pela Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes (SMT) – por meio da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), São Paulo Transporte (SPTrans), Departamento de Transportes Públicos (DTP) e Departamento Operação do Sistema Viário (DSV) – em conjunto com as secretarias municipais de Educação e Direitos Humanos e Cidadania.

 

 

Com informações da Secretaria Especial de Comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *